Uma sopa de 3 Bilhões de letras

Colaboradores da DUNA Bioinformatics e membros da UFRN analisaram o genoma do jornalista Marcelo Leite. A matéria foi publicada Folha de São Paulo, repercutindo nacionalmente.

Na matéria, Marcelo Leite, jornalista da Folha de São Paulo, com a ajuda dos maiores especialistas em genômica no Brasil, busca informações acerca do seu próprio genoma. Entre as descobertas, ele descobre que tem um gene deletério, ganha dicas sobre remédios para seu perfil e descobre quanto carrega de DNA europeu, ameríndio, africano e neandertal. Uma curiosidade a parte foi a identificação de sequências que não faziam parte do genoma do jornalista. Jorge S. E. de Souza, professor da UFRN e assessor científico da DUNA Bioinformatics, mostrou que 200 mil trechos na amostra eram oriundos Gallus gallus (frango). A explicação dada é a de que Marcelo comeu galinha no almoço e sobraram vestígios biomoleculares dela na boca.

A publicação da matéria deixa claro que estamos vivendo na era da ascensão da genômica. Sandro de Souza, cofundador da DUNA Bioinformatics, foi questionado sobre a popularização do sequenciamento de DNA. Ele responde que o sequenciamento de DNA virou commodity, mas que o desafio será a análise dos dados. Sem dúvidas, novas soluções de bioinformática serão fundamentais para aprimorar o entendimento da genômica.

A matéria completa pode ser acessada no link:
https://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2019/03/conhecer-o-proprio-genoma-envolve-surpresas-e-decepcoes.shtml

Previous Post Next Post